Uma reflexão

Desculpem o texto grande, mas eu preciso falar sobre isso:

Gente eu estou simplesmente horrorizada, ontem entrou sem querer em debate a questão política dentro da minha sala de aula, a professora apenas falando sobre como a ente poderia ajudar a definir o nosso futuro, afim de que alguns candidatos não favoreciam nossa vida acadêmica, muito menos prós nordestinos, ela falou que tinha votado em Ciro Gomes e que não tinha votado em nenhum dos candidatos que hoje disputam o segundo turno e analisou as propostas de cada um e falou sobre como os planos de Haddad poderiam não ser aprovados pelos deputados, uma vez que a bancada de direita cada vez crescia mais, e que Bolsonaro não seria uma boa opção pra os nossos estudos. Até aí tudo bem, concordava plenamente com ela, já que tudo que ela falara fazia sentido, até o momento em que ela falou que tudo que “ele” queria era fazer as pessoas “andarem na linha” “seguir as rédeas”, nesse exato momento eu percebi que ela estava falando da ditadura militar…. E eu me pergunto até agora: – Como uma professora, assalariada, mulher, tem em mente que a ditadura é o melhor caminho? Enfim, eu não me preocupei muito, já que ela e a professora de história são amigas, talvez em um desses comentários ela poderia lhe dar um sermão melhor que o meu. Até que no final de seu discurso ela solta: – Mas até que eu concordo com ele, esse negócio da gay aí, tá demais, tem que acabar, tá DEMAIS! Nessa hora eu me decepcionei, fui ao banheiro e fiquei lá calada sem falar absolutamente nada. Como as pessoas ainda tem um pensamento primitivo, no país onde mais se mata pessoas LGBTQ+ em todo o mundo, me perguntar com “acabar com isso” pode significar, já que sua opinião não muda a vida de alguém, o único jeito seria a morte????

Eu respeito a sua opinião, desde que sua opinião não desrespeite a existência de alguém! Este assunto entrou em debate na hora do recreio, e eu, mais uma vez impressionada como algumas pessoas que eu considerava amigos me decepcionaram por falta de entendimento e usando a religião como desculpa! Ainda tenho alguns amigos sensatos, mas eu não sei como lidar com alguns comentários!

Hoje eu vi relatos de pessoas LGBT que foram agredidas e até mortas só por serem do jeito que nasceram, e eu pensei, e se fossem os meus amigos? E se fosse as pessoas que eu considero queridos pra mim?

Hoje eu chorei, amanhã eu lutarei!

Maitê – 12 anos MAC da Bahia