Animação Cultural

 

Antes de tudo, cultura é mesmo o quê?

Na sua acepção mais simples, mais abrangente e profunda, cultura é o resultado do verbo “cultivar”. São todas as formas e expressões do permanente e universal cultivo da vida. São as respostas que cada grupo humano, no seu afã de viver e ser feliz, dá aos desafios todos do seu existir nesta terra. Respostas coletivas, de seres humanos, enquanto seres inter-dependentes, seres de relação e comunhão:

  • Tem a ver com passado: é tradição! É raiz, é legado, é herança, é o chão que lhes dá firmeza… É um jeito de ser e agir, que passa de pai/mãe para filho(a) e lhe dá identidade.
  • Tem a ver com presente: é tarefa! É continuidade, atualidade, criatividade, mudança… nossos afazeres de todo dia, de toda hora.
  • Tem a ver com futuro: é sonho! É projeção, é busca permanente de superação, é querer sempre mais,… é força de invenção e criatividade.

E esse cultivar feito de tradição, de tarefa e de sonho se verifica em todas as dimensões do existir humano:

  • É a cultura do TER e tem a ver com Economia e com Ecologia, com cultivar a terra, produzir bens, partilhar riquezas, desfrutar de tudo, cuidar do ambiente, preservar a natureza, garantir a continuidade da vida.
  • É a cultura do PODER e tem a ver com Política, com exercício efetivo da Cidadania, a arte de cuidar bem da cidade, de ordenar da melhor maneira a convivência entre homens e mulheres, para que a todos(as), a cada um, a cada uma, sejam asseguradas as melhores condições de vida.
  • É a cultura do SABER e tem a ver com informação e formação, com Ciência e Sabedoria, com Tecnologia e Filosofia, com operacionalidade e espiritualidade, com Realidade e Poesia, com as Artes todas e com Mitos e com Ritos, com Religião, Brincadeira e Festa, as coisas mais sublimes que dão sentido e sabor à Vida.

E animação?…

Animação tem a ver com ânimo (do latim, animus), e sugere ação, movimento, dinamismo… é a chama da vida que flameja ou fumega dentro de nós… Mas tem a ver, sobretudo, com alma (da raiz latina, anima), isto é, interioridade, profundidade do ser, razões, valores, motivações, visão de mundo… é o sentido da vida…

Animação consiste, então, em quê?… Em despertar a alma adormecida… em liberar o espírito sufocado… em suscitar numa gente de tantas maneiras impedida de viver, acorrentada por preconceitos e tabus, prejudicada pela falta de condições de todo tipo, sem vez e sem voz… em suscitar nesta gente uma alma nova, o gosto de viver e ser feliz, o prazer de servir à vida e à felicidade de todos…

Vale lembrar aqui uma passagem bíblica, o capítulo 37 do Livro do Profeta Ezequiel, onde se narra a fantástica visão do vale dos ossos ressequidos, reanimados pela força da divina palavra, que lhes infunde um espírito novo, capaz de ressuscitá-los.

E animação cultural, enfim?…

É esse serviço primordial de quem se põe a cultivar a vida, em todas as suas dimensões. Como?… Ajudando as pessoas

  • a se cultivarem como pessoas, descobrindo suas potencialidades e sua dignidade… a se conhecerem a si próprias e, tomando gosto, antes de tudo, consigo mesmas, crescerem em auto-estima
  • a cultivarem relações novas, de companheirismo, de espírito de colaboração, de equipe e partilha, a se entreolharem com olhos de bem-querer, de amizade e solidariedade…
  • a cultivarem a sua identidade cultural, abrindo os olhos e o coração para as belezas e riquezas da cultura local, nordestina e brasileira, tomando conhecimento e posse dos bens culturais da região, particularmente do seu cabedal artístico, do seu folclore… descobrindo suas raízes, sua história,  apreciando as tradições da sua terra e curtindo o gosto pelo seu pedaço…
  • a cultivarem o meio ambiente, especialmente, numa relação de encantamento e cuidado para com a Mãe Natureza… a se preocuparem, sobretudo, com a qualidade do ar, da água, da limpeza pública, do sossego, do visual, de tudo quanto é condição de bem-estar e de vida saudável e sustentável…
  • a cultivarem a cidadania, engajando-se em todas as formas de mobilização e de luta pelo bem comum… a se assumirem como gente responsável pela sua Cidade, como cidadãos e cidadãs, dotados(as) de espírito de iniciativa e participação…

Enfim, ainda se poderia acrescentar que a animação cultural deve ter em mira um possível e desejável efeito multiplicador, na medida em que se vai incentivando seus sujeitos pedagógicos à tarefa cultural de dar continuidade ao processo criativo, que vem dos séculos, buscando respostas atualizadas para os desafios do seu dia-a-dia, para os novos apelos da vida, a fim de que a vida cresça, floresça e frutifique sempre e por toda parte… Que reanimados pela ação de animadores(as) culturais, eles e elas se façam também igualmente animadores(as) culturais em seu ambiente de vida, atiçando a fantasia das pessoas de sua convivência e despertando-as para novos horizontes, para que o sonho continue sempre a borbulhar, como fonte inesgotável de Vida.